quarta-feira, 16 de julho de 2008

Sobre Guaramiranga, Amizades e Memórias e Braz-Tesol e férias




Volto, e volto cheia de novidades. Novidades até demais. Não será a primeira e nem a última vez que digo isso: dias felizes rendem menos escrita. Dias tristes tem posts seguidos, longos, reflexivos. Tenho receio se escrever sobre coisas boas. Sempre soa como se eu me gabasse, como se os meus dias felizes só fossem interessantes para mim e pra quem deles participa. A tristeza faz com que nos reconheçamos como seres humanos. A felicidade é sempre uma outra coisa.

Guaramiranga foi absurdamente fantástico. Primeiro pelo lugar. É interessante passar um tempo sem ir lá e ter uma oportunidade como essa. Vem tudo de novo, a infância e a adolescência escondidas em cada cantinho de sala, pegadas das corridas pelo sitio ainda marcando o chão úmido daquele lugar encantado. E eu havia esquecido disso, tinha esquecido que os anos que passei em Guaramiranga, por mais difíceis, provinciais, por mais que eu morresse de vontade de voltar para Fortaleza e ter uma "vida-de-adolescente-normal", eu era uma menina muito feliz alí. Inocente, aquela inocência da infância, ambientada por um friozinho que eu dava tudo pra ter aqui em Fortaleza. Daí, vem a questão de quem foi. Reuniões com colegas de trabalho podem ser bem chatas, mas é necessário se esforçar muito pra se ser chato em Guaramiranga. Foi bom conviver com pessoas pelas quais você às vezes só passa uma tarde a cada quinze dias, que você vê entre uma aula e outra. Foi bom ficar ainda mais próximo de quem eu já era próximo. Foi bom descobrir que algumas pessoas são mais legais do que parecem e outras, que nem cheiravam e nem fediam, agora terem um cheiro que os identifique:P Tenho fotos(treinei...E COMO!) e memórias fantásticas.

E por falar em memórias, venho pensando nestes dias sobre memórias. O quanto é fantástico presenciar as primeiras vezes das coisas, as suas e as alheias, os pequenos e sutis presentes do destino. Uma boa amizade é feita de bons momentos, de boas memórias. As memórias ruins de dor, de conversa, de apoio, são importantes, sim. Mas elas meio que são um apoio. Uma certeza de que se pode contar com aquele outro ser humano num momento de necessidade. Mas não é a necessidade de colo, de atender uma ligação num momento difícil que nos ligam as pessoas, não é isso que faz com que um risinho de satisfação escape quando num ônibus lotado você comece a rir de alguma piada besta, de uma situação engraçada, de uma experiência divida. Não consigo desvencilhar uma boa amizade de diversão, de experimentar. Espero que meus amigos lembrem de mim com um sorriso no rosto, não com lágrimas nos olhos. Isso está bem longe de ter a ver só com orgulho, tem mais a ver com ser uma boa companhia. E nada me deixa mais feliz que ser e ter uma boa companhia.

Então...Braz-Tesol. Embora tenha dito que não trabalharia, I couldn't help it. É muito tentador ter a chance de aprender coisas novas, ver o que há de novo, rever as velhas discussões. É engraçado ver a ruma de professor de Inglês que tem nessa cidade e nesse país, é interessante levar as típicas injeções de otimismo e auto-valorização pela profissão que escolhi.

O sono bate, um pouco de fome...hora de encerrar o post. Até breve!

11 comentários:

Mucilon disse...

Oi...
Vi o link do seu blog no do meu amigo Fernando(Tico) e resolvi dar uma olhadinha (espero q ñ se importe) =P
Eu tbm adorooo Guaramiranga, sempre q posso vou p/ lá. Sei lá, a paisagem, o clima, as pessoas, a calma q paira no ar, tudo me remete à coisas boas! ^^


Bom, desculpa a invasão! Bjim

Fernando disse...

Ai meu deus... :-S

Pois é... Sim, foi muito boa a viagem sim, espero que tenhamos outras como essa. O Braz-Tesol tbm foi MUITO legal, ate agora da vontade de rir da Miss Take! :-D

New and closer friends rule! :-D
Tx4evrything!

roger disse...

Sua casinha é tão,aparentemente,aconchegante... Gostei.

J disse...

ela não é só, aparentemente, aconchegante.

É tudo de bom :D

roger disse...

Acho que a partir dessa sua última viagem, esse local será sua válvula de escape, tomada de recarregar as energias e, porquê não, o local pra vc se reencontrar.

Se eu estiver errado, aconselho: faça de lá seu "altar privado"!
Bjos..fuuuuuui

J disse...

Sem dúvida, viu?
:D

Paula disse...

Acabei de voltar do interior... é tudo tão diferente! Mesmo Guará não sendo há muito tempo interior, a paz, os aromas e o silêncio desses lugares são coisas que podem defini-los como pelo menos "refúgio aconchegante".

J, sempre que lembro de ti lembro de uma mulher alta, braaaaanca, de cachinhos que mudam de cor por algumas temporadas e que sorri também com os olhos.Ah,e que me dá medo quando faz brincadeiras de humor negro com um olhar totalmente psicótico. Pra mim, dentre vários seres estranhos, vc é dos que rendem uma ótima companhia.

e sempre que leio Braz-Tesol vejo um grande olho inflamado, vermelho, com um calombo horroroso kkkkkkkkkkkk

J disse...

Sorrir com os olhos é algo que ninguém nunca me disse :D
Vc também é uma excelente companhia, Plita!
kakakaka
O Felipe disse que o grande tesol brasileiro...kakaka

a. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
a. disse...

Pois é. Você mesma sintetizou tão bem na legenda da nossa foto: "from now on everything is going to be diferent."
Aquela casa, aquele lugar, tudo aquilo me fez tão bem, me fez sentir tão à vontade. Embora haja controvérsias, como diria uma amiga minha: "Ananda e natureza, natureza e Ananda são duas coisas que se afinam."
Como foi bom todo o espírito da nossa viagem, da fogueira, onde nos tornamos todos irrmediavelmente próximos...
E, como vi em um diálogo um dia desses: "As pérolas perdem o brilho se não não usadas. São como as pessoas: perdem o brilho se não estão sempre perto de nós."

Amigos não são só pra momentos difíceis, são pra momentos bobos, risadas, gargalhadas até cair da cadeira e rir no chão, hein, Jamie?
É pra quem você liga pra contar as alegrias, as besteiras, todos os detalhes.
Senão, por mais que se goste da pessoa, ela não está mais presente.
Aliás, feliz dia do amigo! \o/

J disse...

Vamos voltar a Guará, just the clique.:D

"As pérolas perdem o brilho se não não usadas. São como as pessoas: perdem o brilho se não estão sempre perto de nós."

mas se a gente usa as pérolas demais, elas não acabam quebrando ou ficando manjadas?

:(


cair da cadeira de rir é o tipo de coisa que se pode chamar de divertida...kakkakakkakkakakka