sábado, 2 de agosto de 2008

Sobre o tal dia 26 e a xoxísse da vida




A blogueira que vos bloga está mais velha. E bloga do alto de seus vinte e três anos sentindo que, se de acordo com a astrologia o ano começa pra você depois do seu aniversário, este é primeiro ano que eu vejo mudanças realmente claras em minha personalidade e rotina. A única coisa que se manteve estável foi a natural decepção do dia propriamente dito. Acho que eu acabo criando tantas expectativas para um dia só meu que é natural o desapontamento. Tive um dia 26 meio tristonho, quase não tive coragem de levantar da cama. Fui à praia, depois descansei em casa, depois ao Del Paseo e depois mais uma vez acabei "comemorando" no Dragon center, terminamos a noite no Fafi. Poucas pouquíssimas pessoas apareceram - deixo aqui meu profundo agradecimento aos que foram: Filipe Falsário e sua digníssima Érica, Pilta e seu digníssimo Sávio, Bárbara e sua digníssima, Jacinta (para minha surpresa), Ananda e claro, Felipe. E fiquei bem chateada com algumas pessoas que disseram que iam e não foram, pois pior que não ir, é criar a expectativa da presença, é deixar-me observando cada vez que a porta do restaurante abria, numa esperança vã que só machuca, que só fere um pouco mais. Tem a ver com se importar, tem a ver com prestar atenção em que está do seu lado, em estar presente num dia essencial. Minha melhor amiga não foi, mas passou a noite do dia anterior comigo, me ligou duas vezes. E significou muito pra mim.

Daí eu fiquei pensando na minha relação doentia com aniversários, com a vontade cada vez mais crescente ano após ano de desaparecer dia 26 de Julho. Refleti sobre as festas que fiz e ninguém apareceu, do quão rodeada de gente eu estou todos os dias do ano, mas no único dia que eu acho essencial, pessoas essenciais não estão presentes. Será que, sendo essenciais para mim, eu sou também essencial para elas?

Um outro ano pra mim começa com o coração um pouco mais frio em relação a amizades, e eu odeio isso de ter que que maneirar sentimentos, de ter reservas, de ter um nó no peito sempre que me lembro do assunto.E fico também feliz com descobertas fantásticas, com amizades que começam, com amizades que se confirmam, com sacrifícios que eu vejo as pessoas fazendo e bem triste com sacrifícios que alguns foram incapazes de fazer. E guardo isso dentro de mim e o pior de tudo, eu não esqueço. Eu não esqueço os meus 14 anos quando ninguém apareceu. Eu não esqueço dos abraços que não ganhei aos 23.

Enfim, a temática do post tá assim meio xoxa, mas a vida anda assim meio xoxa mesmo. Coisas absurdas andaram acontecendo, máscaras caindo, um professor de Grego fanho e inconsequente,"As Vinhas da Ira" se tornando cada vez mais cruel.Parou de chover e faz um calor danado lá fora e meus braços dóem depois de 5 balizas e 7 retornos, isso meio dia com uma p**** de um carro de direção dura e com o bendito instrutor dormindo na minha cara com o pezão enfiado na embreagem.

Mais é isso aí, Life is a bitch e hoje tem Black Sabbath no Cantinho mais uma vez. Pq, afinal, há poucas coisas que a música não é capaz de tornar melhor.

Ps 1: Sim, foi uma noite muito boa, apesar das ausências. Desde os sushis quebrados dentro de copinhos minúsculos de café com shoyu, passando pela semelhança de assuntos de assinantes da Super Interessante, pela constatação absurda do Felipe de que eu sou racista por achar que o Cascão é negro, a sutileza e fineza da Jacinta ao comer, a Ananda catando fora os "bichos mortos", a impagável carona pro Fafi, as trocentas vezes que passamos em frente ao Del Passeo, a Ananda por cima de mim, do Felipe e da Jacinta, meus joelhos "massageando" o Sávio, os 360 graus de retorno (quem dera eu ter que fazer isso na prova do Dentran!), o Fafi (sem esquecer da chinela assim que fomos cuspidos do carro), beber, conversar, tentar falar Inglês, beber mais um pouco, dançar até dar dor no pé, ir pra casa realmente feliz.

Ps 2: pq isso está nos ps's. Pq eu não sei valorizar as coisas boas. Ninguém sabe, na verdade. Por isso que life is a bitch.

8 comentários:

Paula disse...

Talvez você crie expectativas demais pra um dia só, mas vejo que naõ é tão radical ao ponto de desconsiderar as manifestações de carinho em dias anteriores ou posteriores. Muitas vezes não podemos estar presentes no dia do aniversário daquela pessoa especial, mas ela não deixa de ser especial por isso.

Por outro lado, entendo muito bem como é angustiante esperar por alguém que disse que iria e ficar olhando pra porta, esperando... caramba, é angustiante mesmo!

Mas ó! Não deixa o coração ficar amargo não! Não deixa ele ficar cheio de "nós", como vc diz. Tu não cresceu ainda, Jamie. No melhor sentido que isso pode ter. Até mesmo esse clima todo que te envolve no teu niver é coisa da infância que ainda martela em ti, aposto!

e mesmo vc sendo exigente assim, mesmo outras pessoas não achando de vc tudo o que eu acho, mesmo eu sabendo que corria o risco de faltar ao teu niver pq estava longe e o sávio havia quase arrancado uma unha no mesmo dia ( e entrar pra tua lista negra por faltar), mesmo a gente se desentendendo às vezes ( e eu procuro sempre passar tudo a limpo pq sei da tua importância na minha vida)..
mesmo depois de tudo isso eu me perdi... não sei o que eu queria dizer.

Tá bom. Pois é. O que quero dizer é que vc pode não ser legal o tempo todo, mas é uma amiga pra vida toda!

Gostou do final totalmente papel de carta? hehe

e vc vai no meu niver, né? =)

Paula disse...

ah, e vc é uma ótima companhia!


ei, adorei a carona! queria ver o mesmo povo espremido no meu celtinha kkkkkkkkkk

iam sair só o suco!

J disse...

Acho que não deixei uma coisa clara: a questão não é deixar de ir. Muita gente deixou de ir, mas me ligou, se importou. O problema é dizer que vai e não ir. Isso é foda.

É, eu não crescí ainda. Pelo menos neste quesito, de aniversários, eu sou aquela mesma menina com roupas dos anos 80 esperando os amiguinhos chegarem, tentando ser aceita. Preciso de um psicólogo.

Você é uma amiga e tanto, Plita. Daquelas que a gente passa meses sem ver e mesmo sem muitos assuntos em comum, é daquelas que a gente abraça e o tempo separada se esvai.

Eita, papel de carta foi osso. Voltei pra 1989 agora ó!kkk

E eu queria dizer que sem dúvida a coisa mais divertida da noite foi a carona que vocês deram. kkkk

Quanto ao Celtinha, vamos tentar um dia!kkkk

Quanto ao seu aniversário, bem...eu vou pensar no seu caso..:P Onde que vai ser mesmo?!:D

roger disse...

No meu niver,dia 24 do mesmo mês,eu passei o dia too entregue a pessoa que mais me parabeniza em 27 anos de existência: eu!

Desliguei celular,coloquei no "som" meus mantras pedilétos, peguei meu JapaMala, recitei meu Gayatre mantra e fiquei só.
Off por um dia inteiro...eu e eu e eu ....

Descobri que assim nuncame decepciono, nunca ponho muitas espectativas que sei que poderão não ser compridas. Pra não dizer que não falei com ninguém,falei por celular com minha mãe, irmão,namorada e por msn, antes de dar 5:30hs da manhã do dia 24 ( hora em que nasci) com uma amiga que nunca ví, que nunca ouví e que mora na Alemanha...
Eu estava me preparando para ver o dia nascer e cantar os meus parabéns na hora do meu nacimento qdo a ví entrar no msn... falei com ela rapidamente e depois desapareci ....

Para o próximo ano,só Deus sabe... mas se eu puder,faço igualzinho!

Bjos

J disse...

Não sei se aguentaria um dia assim, Roger. Acho que eu ia ficar bastante deprimida. Sei lá, eu preciso de gente ao redor. Mas não deixa de ser uma idéia.

roger disse...

Eu sei e não aconselho... no meu caso era porque eu queria e estva a semana toda fazendo reavaliações.Aproveitei para assar o dia comigo mesmoe fazer meditações,ouvir o que eu gosto e construir metas novas....pra mim foi nescessário e muito bom! Depois das 00hs voltei a ativa de novo.
Há anos ensaiava um aniversário assim..esse ano cumpri! Bjos

a. disse...

É, eu também sempre crio muitas expectativas ao meu aniversário. Mas você tem a sorte: conheceu uma pessoa que tem o dom de levantar o aniversário de qualquer um: eu. (ha!)

E vamo combinar que a volta de 360 graus foi tudo! Quero mais caronas com o Sávio e a Plita :)

Paula disse...

eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!

da proxima vez eu dirijo! e o Felipe tem q ficar de olho nos buRA...cos hehe

=)

Fafi ta mesmo derrubado, como vcs disseram antes de ir pra lá, ou é lenda?