quinta-feira, 12 de junho de 2008

Sobre o dia dos namorados e o amor


Not Enough - Van Halen

To love somebody naturally
To love somebody faithfully
To love somebody equally
Is not enough, it's not enough
It's not enough

To love somebody secretly (And never touch)
To love somebody honestly (And always trust)
To love somebody tenderly
The tender touch is not enough
It's not enough

Love hurts you sometimes
It's not so easy to find, no
Searchin' everywhere, you turn and swear (Ahh-ahh-ahh)
It's always been there

To love somebody foolishly (Can happen once)
To love somebody hopelessly (It hurts so much)
To love somebody equally
Is not enough, it's not enough
It's not enough

Love takes a little time
It's not so easy to find, no, no
Searchin' everywhere, you turn and swear
It's always been there

(Guitar Solo)
Standin' there....

Oh!

And if it don't come easily
One thing you must believe
You can always have trust in me
'Cause my heart will always be, yours honestly

Yeah! Love hurts you sometimes
Not so easy to find, no-oh
Searchin' everywhere, you turn and swear (Ahh-ahh-ahh)
It's always been there, standin' there
Love hurts you sometimes
It's not yours, it's not mine, no-oh
Love is only to share
You turn and swear (Ahh-ahh-ahh) it's everywhere
Standin' there (Ahh-ahh)
'Cause it's always been there


Dia dos namorados sempre foi uma data horrível para mim. Passei até os 17 anos sem namorado, sofrendo por zilhões de amores platônicos. Depois do primeiro (patético)e do segundo namorado(trágico ou cômico?) a coisa não foi diferente, sempre acabava antes ou começava depois. Aí vieram mais um punhado de desilusões que me machucaram muito mas que em compensação me deram crônicas fantásticas. Mais alguns anos e conheço o Felipe e penso: Uruuu! agora dá certo. E deu. Mas eu tinha que arrumar um namorado que não gosta do dia dos namorados!Desde então, esta data se tornou uma coisa água com açúcar para mim. Pelo menos sofrer eu não sofro mais, o que é ótimo. Hoje, feliz e satisfeita com um relacionamento fixo, fico pensando nos dias e noites que passei sozinha. Sofrí muito, muito mesmo. Aí eu fico pensando que se eu tivesse passado a adolescência aqui em Fortaleza, e não numa casa no meio do mato, como teria sido minha vida afetiva, que tipo de pessoa eu seria agora. E chego a uma conclusão que eu jamais chegaria há alguns anos. Foi horrível, mas me ensinou muitas coisas, me fez esperar pela hora certa das coisas, me fez refletir, me conhecer. Talvez eu sequer estivesse casada hoje se eu tivesse tido a vida de....bem, quase todos que conheço: ficar com trocentas pessoas, namorar outras trocentas, ter relacionamentos vazios, provisórios, superficiais. Se bem que sequer sei se eu seria assim. Era uma menina feia e desengoçada, crescí como uma adolescente que morava longe e com a cara coberta de espinhas, sempre era muito alta , muito branca, muito magra, muito estranha. Sempre muito legal, papo legal, assuntos legais, simpática...Mas nada fisicamente inaceitável.E os adolescentes podem ser bem cruéis com pessoas assim.

Não me tornei a Angelina Jolie, mas me considero uma mulher bonita hoje, uma pessoa completamente diferente da aberração da minha adolescência. E o mais importante disso tudo, é que ganhei com meu relacionamento atual aquilo que me faltou e minou todas as chances dos relacionamentos anteriores: segurança. Não a segurança de alguém que se acha, mas a segurança que só se tem quando se percebe que ser exatamente quem você é é a única maneira de se encontrar um amor verdadeiro. Não sei se vocês entendem o que eu digo, um amor de verdade sem joguinhos bestas, sem fingimentos. Amor que se desenvolve aos poucos partindo de uma paixão e que vai se transformando em conversas cada vez mais longas e mais essenciais, numa presença que se torna cada vez mais necessária ...imprescindível. Falando bem sério, sempre achei que fosse acabar ficando pra titia e que jamais vivenciaria essa fabulsosa dimensão da vida que é o amor. Ah, o amor.

Valorizo muito as pessoas que gosto hoje pq tive pouquíssimas pessoas que gostassem de mim durante a minha vida. Minha família, meus amigos, meu amor, meus gatos. As pessoas às vezes tem a impressão de que por eu conhecer zilhões de pessoas, sou amiga de todas elas. Conto os amigos que tenho com uma mão só, conto os amigos que perdí com várias sacas de feijão :P Mas os que ficaram, estas criaturas abençoadas que aguentam minhas infindáveis conversas e que felizmente alugam meus ouvidos com as mais inesperadas crises existenciais , ocupam um lugar dentro deste pequeno coração Jamico que talvez elas sequer tenham noção. Acho até meio doentio a forma como eu gosto das pessoas, necessitando da presençaa, da atenção. Pobre família, pobres amigos, pobre Felipe, pobres gatos. Aliás, acho que eles sabem o quanto eu gosto deles, devem estar agora mesmo limpando um pouco do grude que eu sempre deixo pelas pessoas que eu gosto :P (tah, isso foi nojento).

Dedico o post de hoje não ao dia dos namorados como ele é celebrado aqui, mas como ele é celebrado lá fora. Como um dia de celebração àqueles que gostamos, a este amor único que sentimos pelas pessoas que gostamos e que classificamos como "amor de amigo", "amor de namorado", "amor de mãe".

Amo todos vocês.

11 comentários:

Paula disse...

É. Melhor nem pensar em como as coisas seriam hoje se você não tivesse passado pelo que passou. Com certeza não seria uma pessoa vazia como essas que você descreveu, mas garanto que seria difícil encontrar alguém que lhe permitisse ser quem você é.

Sinto as pessoas cheias de rancor e ressentimento em relação ao Amor porque muitas vezes não sabem o que é Amor.

Quem ama de verdade e sofre por isso naõ deixa de aceitar que o Amor de verdade existe sim, que duas pessoas podem passar a vida inteira juntas se divertindo, aprendendo, experimentando e mantendo hábitos que nascem da convivência e da intimidade.

Quem sofre por ter amado de verdade sabe ver a felicidade dos que amam e espera que sua hora cheguec ultivando amigos, pq sabe que o amor verdadeiro (não em absoluto, o verdade pra você, e só pra vc) é antes de tudo, acima de tudo, e obrigatoriamente uma grande amizade. É companheirismo, troca, debate, silêncio, pequenos sacrifícios e descobertas extremamente significantes acerca de si e do mundo.

Mas a maioria sofre por não saber amar. sabe ser amigo, mas não sabe amar! Como pode? Será que sabe ser amigo mesmo ou coleciona confidentes e colegas de bar sem critério algum? Não sei.

pq amar não é bem uma amizade que se conquista, ou que cresce com o tempo. É uma amizade que tinha de acontecer, que tem de acontecer o tempo, como uma disposição prévia das duas pessoas a isso sem motivo, sem razão. Por isso tantos acreditam em amor à primeira vista ou no amor que não tem razões pra existir. Nâo tem mesmo. Sò precisa de dois amigos que muitas vezes naõ sabem que serão amigos.

p.s.: Vc sempre me faz escrever redações! p.s.2: Não foi só o batom vermelho que sumiu. Vc realmente tá um mulherão hoje!

felipe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
J disse...

Concordo plenamente com você, Plita. O amor é uma grande, grande amizade.Com algumas coisinhas a mais, asm ainda sim uma grande amizade.

Adoro fazer você escrever redações :D

Também num exagera...mulherão é a Cláudia Raia :P

Anônimo disse...

Comentário excluído
Essa postagem se auto excluiu envergonhada pelo comentário-redação deixado por Plita.

J disse...

han?

Dino disse...

aaahhh... no pain, no gain! certo?
bem, eu conversei com uma amiga minha (que parece muito comigo), ela me conta às vezes os problemas que ela enfrenta por causa do coração dela... até ai tudo bem, quem nunca desabafou com um amigo? quem nunca precisou só de um ouvido?... mas,ao invés de pedir conselhos como outras pessoas... não, ela não é desse tipo de que precisa de ajuda, ela sabe o que sente, sabe muito mais do que isso, ela vive essas experiências como se cada uma fosse única... quer saber? eu acho que ela tá mais do que certa.

p.s - embora eu tenha digitado no começo: "concordo com a plita" eu preferi botar um testemunho meu (roubado da minha amiga) que é vivendo que se aprende a amar, não que eu tenha vivido muito, mas estou aprendendo^^

=P

J disse...

"quem nunca precisou só de um ouvido?"

hehehe

Concordo, até as sensações mais horríveis devem ser vividas, as ruins nos ensinam até mais coisas que as boas.

Kel disse...

em primeiro lugar, a letra da musica eh um arraso...em segundo, eu me sinto humilhada...a plita invadiu minha mente, roubou meus pensamentos e eu nao tenho nada inteligente a dizer sobre um post tao genial...tai, ela disse tudo. Oi, nhirmao! vc, por aki, como vai, blz? :)

J disse...

Plita, seus comentários estão impedindo as pessoas de comentarem no meu blog! :0

:P

mas não deixe de comentar por isso:P

a. disse...

Amei a letra da música. Disse tudo.
Bem, sobre o post...A cada dia vejo o quanto somos parecidas, Jamie! Ainda podemos conversar muito sobre isso. :)

J disse...

Deixe de me cantar aqui, Ananda.

Todos vão descobrir nosso caso..:P