domingo, 1 de junho de 2008

Sobre o fim de semana e a crônica "O menino"

Fim de semana diversificado. Aula, tarot pra Magally, cadernos de arte com o Felipe (sketch books), "Um virgem de 40 anos",crônica de madrugada, dormir até tarde, feijoada de aniversário do Rogério, mãe, homeworks, último episódio da quarta temporada do Lost (e pra variar, continuo mais confusa que no primeiro episódio :P), mais um pouco de internet e já-já, cama. É o que se pode chamar de um fim de semana diversificado, o que é ótimo e cansativo ao mesmo tempo. Mais um mês de aulas na Wizard e na Douce France e as "férias" chegam, assim como as aulas na faculdade. Mal posso esperar para fazer cinco cadeiras certinhas na faculdade :D

Ainda sobre "O virgem de 40 anos", fazia muito, muito tempo que eu não ria tanto com o filme. Não seu processo, embora seja engraçado, mas o final é único!

"When the moon is in the Seventh House
And Jupiter aligns with Mars
Then peace will guide the planets
And love will steer the stars

This is the dawning of the age of Aquarius
The age of Aquarius
Aquarius!
Aquarius!"


kkkkkkkk

Comentário 1: O link não pe do fim do filme e sim do clipe da música.
Comentário 2: Se você não viu o filme, não vai entender e nem eu vou contar...HA!

Há uma enquete à direita, sintam-se à vontade (vá lá agora, BORA!) para votarem.:D

À pedido da Plita (Paula Patrícia para os demais mortais), segue uma das crônicas que eu mais gosto. Continuem pedindo seus posts favoritos que à medida do possível vou atendendo (a fila é enorme:P)


O menino


Quando era criança não precisava de um carro para chegar a lugar algum, apenas fechava os olhos e buscava imaginar-se onde queria estar, mandava que os cheiros ao seu redor mudassem, que a textura da cama parecesse com a textura da terra molhada e corria pelo mato tentando achar duendes ou jabuticabas junto àquele amigo imaginário que o acompanhava fraternalmente a todos os lugares. Chegava até a senti-las geladas nas mãos, em sua boca escorria o suco maravilhoso da frutinha pequena, chegava até a tomar cuidado para não estragar seu aroma cuspindo no momento certo casca e caroço no chão, acertando uma formiga que sofregamente carregava um pedaço de folha a um destino desconhecido provocando o riso alto do seu parceiro de travessuras.

Agora precisava importar-se com a gasolina, com o tempo, com a roupa que deveria vestir, agora não mais andava pelo mato de sua infância, a não ser que alugasse uma casa, comprasse comida, que tirasse folga do trabalho...e era tudo tão complexo, tão complicado que lhe já estava cansado antes de pensar em como tudo isso seria possível e fechava os olhos envolto num pijama listrado e tudo o que via era escuridão e uma vontade imensa de dormir para sonhar com o menino que costumava viajar através do mundo e que brincava que trabalhava na fabricação de chocolates que nasciam em árvores chocolateiras num campo enorme e infindável. Mas como sempre, chegava à conclusão de que era na verdade muito bobo esse menino em querer ser adulto, se quando se cresce tudo o que se quer é rodar um pião sem que o dono da lojinha pergunte “é para seu filho?”. Como este menino era tonto em pensar que chocolates brotam de árvores quando as indústrias existem e empregam e exportam e vendem e fabricam mais chocolates que são comprados com o dinheiro de quem precisa dirigir para chegar aos lugares, de quem acorda cedo todos os dias e digita palavras impessoais num computador.

E, carrancudo, o velho dentro daquele pijama dormiu mais uma vez na certeza que aquele menino deveria ter morrido de pneumonia por correr daquele jeito perigoso quando estava chovendo, antes que o menino pudesse alcançá-lo para mostrar-lhe que as estrelas são na verdade feitas de marrom glacê e, desapontado, mais uma vez voltasse a caminhar pelo mato, sozinho, deixando as formigas devorarem as chocolateiras e as jabuticabas apodrecendo no pé.

Jamie Barteldes
Trilha Sonora: “Time of your life” – Green Day
17/07/2004

4 comentários:

Dino disse...

Vou direto ao ponto. J , por favor, vc põe cartas pra mim? (morrendo de curiosidade)

p.s-nada de comentários enooooormes meus hoje.

beijos

Paula disse...

infância.rotina.saudosismo. gostei das tags!

Também quero cartas! =)

essa foto do menino é tão bonitinha! e a crônica parece maior aqui! acho que é pq está mais estreito o corpo do texto. Relendo agora tenho outras impressões e sensações. Talvez sejam as mesmas, só que mais intensas.

O post anterior me inspirou a escrever, sabia? Dá uma olhada no desemblogue-se, se puder. Está nos meus feeds do Orkut.

p.s.: Felipe disse que te ler é te ouvir. Pra mim, te ler tem sido querer te ver =P

p.s.2: cartassss, my preciousss!

J disse...

Olha a fila pra Jamie Diná!!!

Marquemos um dia, meu povo. Tenho o maior prazer de pôr cartas.

Verei o blog sim..O que é um feed?


"p.s.: Felipe disse que te ler é te ouvir. Pra mim, te ler tem sido querer te ver =P"

(jamie olha para a janela, vê a lua brotando por detrás de nuvens, um eventual carro passa pela rua, uma mulher grita pro filho entrar em casa e Jamie com os olhos marejados pensa: eu faço falta!!!":D

Paula disse...

égua... o povo tem preguiça de ler post grande, é?

=P