terça-feira, 27 de maio de 2008

Sobre como é bom ter um fã!

Estou em estado de êxtase hoje.
Quando criei est blog e lancei a proposta das pessoas votarem nos posts antigos que mais gostaram pensei..."ninguém vai realmente fazer isso ou se fizer, vão catar a primeira coisa que achar num dos blogs e dizer que gostou"
Mas eis que estou conversando com o Cícero pelo msn...

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

cara mas eh sério

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

hoje eu fui no centro da cidade

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

num tem como andar no centro e num lembrar dakele teu texto

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

eh sinestésico

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

(akele lah q tu fala do centro)

['η٢µ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

adoro!

Jamie says:

hahhaa..pede lá no blog que eu boto

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

podexá!

Jamie says:

ah, sim....que eu tava voltando da específica

Jamie says:

engraçado é que, morando no centro, hj tenho uma outra visão do centro

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

qual?

Jamie says:

pera que eu nem me lembro da visão antiga...kakakakakaka

Jamie says:

caralho, mas tu desenterrou, hein?

Jamie says:

minhas crônicas sumiram...O_O

Jamie says:

a crônica do centro foi-se...

Jamie says:

vê se tu consegue achá-la por aí

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

EU

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

EU EU

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

E apenas eu

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

kkkkkkkkkkk

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

tenho salvo no PC

Jamie says:

Caralho, tu guardou...O_O

Jamie says:

(minuto de êxtase)

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

calma calma

['η٢ﻌµ] "Filho do Carbono e do Amoníaco" says:

quqlquer R$ 2500,00 a gente negocia... =p


Se isso não é uma declaração incontestável que o Cícero é o meu maior fã, então eu não sei o que é! E o engraçado é que eu o conhecí quando colava as minhas crônicas nas paredes do CH com o link do blog pras pessoas visitarem, fã desde o primeiro momento, fã verdadeiro! Eu vou criar um fã-clube pro fã mais legal do mundo: Cícero, O fã!


E agora, o texto escolhido: (sugestão, carregue o vídeo da trilha sonora no you tube e deixe rolar enquanto lê o texto.)

O Centro

No "João Pessoa" quase vazio retorno ao meu lar após meus estudos específicos. A montanha de livros, td's e cadernos ocupa o assento ao lado. Pelo alaranjado suave do sol nas paredes dos velhos edifícios por onde passo, deve ser por volta de cinco horas da tarde.

Meu olhar perdido passeia pela vista que a janela suja me garante: camelôs a recolherem suas mercadorias, o semblante cansado de quem passou o dia a buscar pechinchas no Centro, o local até hoje mais apropriado para tal fim. Nem mesmo a febre dos Shopping Centers conseguiu tirar as glórias deste amontoado logístico. De certa forma até as acentuou.

Os seis anos nos quais estive longe de Fortaleza não conseguiram apagar de mim a sinestesia desta capital ensolarada. E por isso, ao percorrer mediante o chacoalhar do ônibus estas ruas, sinto como se jamais tivesse me ausentado e como se nunca tivesse visitado estas terras - descubro lugares que já conhecia, exercito o saudosismo sadio de meus primeiros dez anos de vida.

Fecho os olhos relembrando minha infância repleta de nuances e o cheiro da batata frita oleosa e do milho verde assado tomam meus sentidos como se cada molécula minha guardasse em suas entranhas esse aroma, desde os tempos em que eu usava aquelas enormes calcinhas de algodão branquíssimo repletas de babados compradas aos montes no Mercado Central. Guardaram para que um dia - quem sabe hoje - eu pudesse escrever sobre o Centro, nosso Centro...meu Centro.

Quando se fala em Fortaleza, a associação às praias é inevitável. De fato, são lindas - poluídas - mas, lindas. Não pretendo mudar esta aptidão turística; a Praia de Iracema me concebeu, a Aldeota me criou mas foi o Centro quem tirou minha virgindade poética...

Jamie Paula Colares Barteldes

Crônica escrita em 05/12/2002 às 11:45 pm

Trilha sonora: " Jura Secreta"- Fagner


O engraçado é que hoje em dia, o Centro me lembra um monte de outras coisas, incluíndo o Felipe e vida adulta. O Felipe pq até hoje eu anda ligo pra ele pra me achar por lá, pq ele cresceu por aqui. E vida adulta pq é o Centro minha morada desde então, tanto física quanto social, disputando pau a pau com a PI e o Benfica :P.


O que é o Centro pra você?

E que se dane o que eu ia escrever hoje! :D



14 comentários:

Paula disse...

Aêêêê! Mas eu também tô quase lá, viu?
Tenho aqui do meu lado o caderno que usava no terceiro ano. Revirei tudo ontem à procura dele, pra achar o blog que a gente tinha e outras coisas mais, que estariam porventura escritas nele.
A rinite atacou, fiquei me coçando, mas valeu a pena! Quantas lembranças não vieram com esse caderno?!

Lembro da gente voltando de ônibus de uma aula e você dizendo que queria juntar várias crônicas que você tinha só sobre ônibus. Muito tempo depois, já na Uece, vejo você e Milo colando um cartaz. Sua idéia saiu da cabeça e foi pro papel. Aliás, fico curiosa pra saber como ficou o lance de reunir as crônicas de várias pessoas sobre o mesmo tema. Contos Coletivos, não era? Algo assim...

Lembro dessa tua crônica!

Quanto ao Centro... ele me vem à cabeça sempre no fim da tarde, com essas luzes alaranjadas que você descreveu, com os milhos e batatas fritas, a praça José de Alencar, os iogurtes, as bancas de revista...
É que eu passava três vezes por semana pelo centro (General Sampaio) quando ia ao Ballet. Só não foram os 3 melhores anos da minha vida porque não havia conhecido o Sávio ainda, mas o Centro pra mim é uma lembrança maravilhosa!

J disse...

A melhor coisa em partilhar idéias de projetos com os amigos é isso: mais na frente eles vão recordar daqueles que nem a gente lembrava!

Os contos coletivos virou zine, mas morreu no primeiro...:(

O Centro é mágico! :D

Sim, Plita, mas deixe aqui seu post preferido!

roger holanda disse...

No Coments...I'm so Sorry!

J disse...

VIXE...e pq, roger?
Sua ojeriza ao centro é assim tão grnde?

roger holanda disse...

Não é bem isso.... Eu nãoconheço a perte residencial do Centro, só a comercial e sempre que vou fazer algo lá me esresso as pencas. Muita sujeira - tem umas ruas lá que parece que brota lama pq sempre que passo tem a maledita lá - pedintes com as mais estranhas doênças - que os deuses me perdoem - mau cheiro e povo gritando no meu ouvidinho - eu até poste dia desses sobre o silêncio e a falta dele,lembra? Na maioria das vezes que vou ao centro volto muito cansado e irritado. Acredito que a parte residencial seja maravilhosa e tenho, com vocês, 4 amigos que moram e adoram o Centro. Mas eu mesmo não gosto. Tenho que tirar meus pré-conceitos e abrir a cabeça para o lado belo do bairro. Quem sabe...

J disse...

Mas eu sou encantada é pela parte comercial. A parte residencial é cheia de velhos, casas de filmes pornôs, mercadinhos...é bom pq é perto de tudo. Além disso, nada mais [:P]

Gosto da multidão, da pechincha.
No centro, a gente sabe que o tempo tá passando. Vc perde a noção do tempo dentro de um shopping!

:P

Fernando Jr. disse...

*suspiro*

Tô morrendo de vontade comer batatinha oleosa e milho cozido... água na boca... algodão doce tambem não seria de todo o mal... quero beijinhos...

Dino disse...

ô loco !!! E o caldo de cana (COM óleo) + 1 pastel por um real? e sair correndo atrás do pivete que te roubou o boné ? (ah, maledita praça coração de jesus), mas um viva aos camelôs e suas bugingangas (saía cada presente "legal" dali pra amigo secreto)ehhehehehehe ... eu tenho uma visão diferente do centro, o que eu mais gostava era ouvir as histórias aterradoras que "acoteciam" quando o centro escurecia, coisas de criança mesmo. E o mais legal foi que; assim que cheguei em fortaleza, eu ia jogar bola em diversos colégios no centro e quando voltava, não via nada do que me contavam, nada de gangues destruindo lojas, nada de prostitutas atacando os homens, nada de pessoas correndo e se escondendo pelos cantos... pois é, era tudo calmo, escuro, mas calmo. Assim a primeira parte da cidade que eu conheci quando cheguei foi o centro, claro que minha visão atual está BEM diferente e faz tanto tempo que eu não faço mais as minhas "peregrinações" ao centro que agora imagino aquelas mesmas histórias fantásticas estarem acontecendo nos dias de hoje. Está J?

J disse...

"*suspiro*(Comida TBM)

Tô morrendo de vontade comer batatinha oleosa e milho cozido... água na boca... algodão doce tambem não seria de todo o mal... quero beijinhos..."

aff menino esfomeado...
Serve um abraço, cara?
:P

J disse...

hhahahhaa...
dino, até hoje, morando no centro, a minha mãe diz pra eu ter cuidado quando eu vou ao centro (?).
Essa coisa da violência, de mirins, de assaltos tem em todo canto. Você não esconde o celular para ir ao Iguatemi, embora a gente canse de ouvir conversas cabeludas sobre assaltos, anacondas e ets no Iguatemi. A gente se sente seguro num shopping, não no Centro. No Centro as pessoas são de verdade.
E a gente morre de medo de gente de verdade.
Dino, não use minha estratégia de terminar o post com uma pergunta :P

Dino disse...

droga , fui descoberto! =(

pena, achei que fosse funcionar com você, ledo engano. Ainda bem que somos amigos, não somos?


p.s - =D

J disse...

hehehe...
somos sim, Dino :P

Paula disse...

Publica por aqui de novo "O menino". Tem tudo a ver com o momento da vida em que estamos (a maioria de nós, pensando em trabalho, tempo, etc).

Coloca aquela foto linda e tudo! O comentário que fiz na época continua valendo ;)

e no mais, gosto sempre de quando você escreve sobre Amor, sobre relacionamentos e também quando fala um pouco de suas impressões sobre determinados lugares e coisas tão simples ou comuns que passam despercebidas pra quase todo mundo.

J disse...

saindo "o menino" com foto requentada a pedido da Plita:P


adoro escrever sobre relacionamentos, especialmente os alheios.

estou tão emocionada com tanta frequencia de comentários:D